segunda-feira, 16 de abril de 2012

Os Filmes Mais Chatos


Todo mundo já assistiu algum filme quase insuportável de tão entediante. Eles estão aí e não são poucos. Muitos ganham prêmios e até conquistam alguns Oscars. Quero ressaltar que um filme chato não necessariamente é ruim; pode até ser genial e, ao mesmo tempo, ser maçante. Outro ponto a ressaltar é o fato de essa noção de “chato” ser bastante relativa.

Antes de escrever esse post, fiz uma pesquisa e percebi que diversos filmes que considero fantásticos e distantes de qualquer possibilidade de serem chatos, como Bastardos Inglórios, Vanilla Sky e O Pianista, figuravam em listas intituladas “os mais chatos de todos os tempos”. Então por isso já se percebe o relativismo da coisa.

É engraçado notar que se tornou cool gostar de filmes chatos. Sempre aparece um indivíduo pra dizer o quão interessante e envolvente é aquele filme croata de 8 horas de duração. E também sempre tem o cara que vai dizer que você não entende de cinema, pois o “O Poderoso Chefão” não entra no seu TOP 10. Outro dia uma leitora criticou o Leandro, outro autor aqui do Blog, e disse que ele precisava ter aulas de cinema, pois o gosto dele não era compatível com o dela. Concordo que os critérios dele, ao definir seus filmes favoritos, são bem singulares, mas isso não muda o fato de que ela atacou algo que representa a opinião pessoal dele e ainda foi pretensiosa a ponto de indicar uma lista de filmes que, esses sim, seriam os realmente bons. Detalhe: ele já tinha assistido todos.

Sem mais delongas, veja abaixo a minha lista com alguns dos filmes mais chatos já feitos. Com exceção do primeiro, todos os outros são recentes.
Dave Bowman (Keir Dullea)
1° 2001: Uma Odisseia no Espaço (2001: A Space Odyssey - 1968): Obra prima de Stanley Kubrick e considerado um dos maiores clássicos da história do cinema. O filme é uma adaptação do livro de mesmo nome do genial Arthur C. Clarke. Na história, um estranho monolito parece ter interferido com toda a evolução da raça humana e agora cientistas vão à Júpiter para investigá-lo. Reconheço que é um trabalho genial de duas mentes brilhantes (Clarke e Kubrick), mas ainda assim o filme é extremamente chato e arrastado.

Oh Dae-su (Min-sik Choi)
2° Oldboy - 2003: É um dos melhores filmes que já assisti e com um dos finais mais geniais também. É um longa sul-coreano que conta a história de Oh Dae-su, um homem comum que após ficar embriagado acaba indo parar na delegacia e depois desaparece. Ele acorda em um lugar que se parece um quarto de hotel, com uma televisão, uma cama e nada mais. Através da TV descobre que é acusado do homicídio de sua mulher. Diariamente ele dorme sob efeito de um gás que é injetado no quarto e não consegue se comunicar com ninguém. Resta-lhe apenas tentar manter-se são enquanto os anos passam. O filme é realmente genial e, como já disse, é um dos melhores que já vi, mas... Com exceção dos momentos derradeiros, o filme é um verdadeiro tédio. No final tudo se justifica e acabamos por relevar toda a chatice.

Bob Harris (Bill Murray)
3° Encontros e Desencontros (Lost in Translation - 2003): Sofia Coppola... Eterna especialista em fazer as pessoas dormirem. Foram três tentativas de assistir Encontros e Desencontros: na primeira, deitado no sofá da sala. Dormi logo nos primeiros 30 minutos do filme e quando acordei estava passando Battlestar Galactica, na TNT. Na segunda tentativa, sentado na poltrona do meu quarto, consegui ir mais longe e passei da metade. Mas dormi e quando eu acordei, a TV estranhamente estava desligada. Acho que a televisão ficou com tédio do que estava transmitindo. Na terceira tentativa eu novamente dormi antes do meio da exibição, mas acordei uns 20 minutos depois e, revoltado comigo mesmo, lavei a cara, tomei café e consegui terminar de assistir! Aleluia irmão! E digo que gostei bastante. Acho que nunca insisti tanto num filme, mas no final das contas valeu a pena. Mas pelamordedeus... Que filme chato!  Olha, nem sobrou espaço pra falar do filme... Resumindo: um ator famoso, interpretado por Bill Murray, vai a Tóquio para fazer comerciais e aumentar os dígitos da sua conta bancária. Lá encontra Charlotte (Scarlett Johansson), com quem ele passa a dividir o seu tédio. Ou seja, metalinguagem total.

Betty Elms e Rita
4° Cidade dos Sonhos (Mulholland Dr. - 2001): Prestes a ser assassinada, Rita (Laura Harring) é acidentalmente salva por outro carro com estudantes bêbados. Ela perde a memória e se refugia na casa onde Betty (Naomi Watts) está hospedada. As duas então tentam reconstituir o que aconteceu e desvendar o mistério. Dos filmes da lista esse é o único do qual não gosto. É considerado por muitos uma obra prima de David Lynch, mas eu o acho cansativo e desnecessariamente confuso. O fato de ser confuso não é muito relevante, até porque já assisti filmes igualmente malucos e mesmo assim gostei. O Pablo Villaça, editor do site Cinema em Cena, pensa de forma diferente e escreveu um ótimo artigo sobre o assunto, então clique “aqui” para ler.

Justine (Kirsten Dunst)
5° Melancolia (Melancholia - 2011): Esse filme do Lars Von Trier levou muito a sério o título. Um planeta chamado Melancolia está prestes a colidir com a Terra, o que causará sua destruição. Ao mesmo tempo, Justine (Kirsten Dunst) se casa com Michael, numa grande festa “comemorativa”. Bom filme e é bastante interessante acompanhar o comportamento das personagens, que parece contraditório. Uma constante negação de uma realidade avassaladora. A única que parece mais sensata é exatamente a depressiva Justine. Nem preciso dizer, mas vamos lá... Quanto tédio! Mas nesse caso foi justificável.

Filho do Jack (Zach Irsik)
6° A Árvore da Vida (The Tree of Life - 2011): O filme coloca a família em foco e analisa principalmente a relação entre pai e filho. Intercala isso através de uma perspectiva que mostra desde o Big Bang até o surgimento da vida, passando por algumas alegorias, como uma cena com dinossauros. Em minha opinião um dos melhores de 2011. Para ser honesto eu nem cheguei a ficar entediado enquanto assistia, mas estava no cinema e realmente fiquei fascinado com a forma que o diretor, Terrence Malick, passou a mensagem que queria. A fotografia do filme é fantástica, a condução dos acontecimentos e como eles são mostrados, também. Mas tenho perfeita noção de que se eu fosse assistir novamente, em casa, sentado no sofá da sala, com certeza iria cochilar em diversos partes.

E você, concorda com essa lista? Qual filme você não colocaria ou acrescentaria? Fique à vontade para comentar.

23 comentários:

  1. Retrocedendo um pouco aos anos 50,eu adicionaria "Ben Hur" à lista! Clássico ganhador de 11 Oscars - incluindo Melhor Filme - o filme é simplesmente chato!
    Impossível de se assistir duas vezes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, obrigado pela dica! Pretendo fazer uma Pt.2 depois e acho que vou colocá-lo na lista :)

      Excluir
  2. Haha, gostei do tema! Entre todos esses filmes só assisti 2001: uma odisséia no espaço, e Melancholia, que aliás estão entre os filmes que mais gosto! Mas gosto deles pela essência mesmo, por que realmente, terminá-los foi difícil! Algumas cenas são muito paradas, e te dão até sono!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, eu levei dias para terminar de assistir Melancholia. Fui vendo as poucos. Primeiro assisti direto os primeiros 54 minutos, mas aí desisti. Mas depois resolvi terminar de ver aos pouquinhos rs
      Um amigo fez isso com o Oldboy. Assistiu 10 minutos por dia até terminar hahaha

      Abraço

      Excluir
  3. eu não cheguei a acabar 2001, era extremente chato (conheço a história pelo livro), mas adorei melancolia e nem o consiidero chato, estrutura dificil, isso sim. Lost in translation, nem sequer gostei, os outros não vi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, assistir Lost in Translation foi uma tortura. 2001 então nem se fala... Muito difícil assistir até o fim. Aliás, é difícil assistir mais que a metade...

      Excluir
  4. Eu só tiraria encontros e desencontros da lista que me deixou com o coração chorando durante o filme inteiro. Mas os outros são excelentes, tirando Melancolia que é um saco mesmo.

    Pegou pesado hein! haha. podia colocar os filmes chatos como Os vampiros que se mordam, homem de ferro....rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No final das contas eu gostei bastante de Encontros e Desencontros. É muito cativante, mas, ao menos comigo, foi muito difícil de assistir até o fim. O importante é que valeu a pena! rs

      Excluir
  5. "Ensaio Sobre a Cegueira" também é muito chato.

    ResponderExcluir
  6. Da lista só não assisti "Cidade dos Sonhos", quanto aos outros citados, tenho que discordar veementemente rsrsrs, mas sei que como você mesmo disse, está é uma questão subjetiva. Mas considero cada um deles verdadeiras obras primas de suas respectivas épocas, "A Árvore da Vida" e "Melancolia", ocupam respectivamente o primeiro e o segundo lugar dentre os meus favoritos do ano passado... Dias desses comentei em algum fórum que a se daqui a 50 anos decidirem apontar o filme mais importante de 2011, este será "A Árvore da Vida". Eu pessoalmente gosto muito do tipo de filme que evoca reflexões e não se encerram em si mesmo e penso que este seja o caso de cada um dos que você citou...

    Ah. confesso que não consegui compreender até hoje o desfecho de "2001", mas ainda assim e justamente por isso, continuo o considerando uma obra prima...

    ResponderExcluir
  7. Ah, mas eu também acho todos eles muito bons, com exceção do Cidade dos Sonhos. Árvore da Vida foi um dos meus filmes favoritos de 2011 também. Mas eu considero todos esses (exceto o já citado) muito bons. O Olboy, por exemplo, é um dos melhores filmes que eu já vi. 2001 sem sombra de dúvidas é genial! Mas, a meu ver, todos eles são chatos hahaha

    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. 1° 2001: Uma Odisseia no Espaço (2001: A Space Odyssey - 1968):

    HAMMMMM ?
    vsfd Nerd vc tem problema ,Filmão desses o cara fala q é tediozo,pra uma ameba q ñ entende deve ser um tedio mesmo !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O filme é muito bom, mas é tedioso sim. Se você diz que não, provavelmente está tentando pagar de cult. Enfim...

      Não use palavrões nos comentários! Eu só não vou deletar esse seu comentário pois você abreviou rs

      Excluir
  9. A Árvore da Vida eu assisti e, Jesus, o que foi aquilo?!!!
    Muitoooooo Chaaatoooo!!!!

    ResponderExcluir
  10. A Árvore da Vida eu assisti e, Jesus, o que foi aquilo?!!!
    Muitoooooo Chaaatoooo!!!!

    ResponderExcluir
  11. o pior filmes de todos porquer são ruim feito de bosta de gay foi anaconda 2,3,4,5.crepusculo123.street fighter van.damme.mulher gato,o pequenino, transformens,cornan novo,rambo4.double dragon.tekken. fudendo a mãe de carlos 3. filho de fransico, se eu fosse voçe.samurai.lobisomem novo.shelockholmes.etc.. nem se compara um classico de original dracula,titanic,anaconda1,gradiador,mountainbareback,fudendo de mae de carlos 2,ace ventura isso sãofilmes...

    ResponderExcluir
  12. Amigos, alguém já assistiu : VINTE,TRINTA,QUARENTA da Sylvia Chang? Um verdadeiro desafio tedioso.

    ResponderExcluir
  13. Melancolia é de longe o filme mais tedioso q já assisti.

    ResponderExcluir
  14. São otimos filmes pra quem sofre de insônia!!!

    ResponderExcluir
  15. Ainda bem que vocês não listaram os filmes brasileiros dos anos setenta/oitenta...Chatos, metidos, cenas de sexo sem contexto, áudio horrível...Enfim, impossível de serem vistos/revistos. É claro, que tem quem os ache ótimos, não duvido que sejam, mas assisti-los é um exercício de paciência.

    ResponderExcluir
  16. Assistam a Vestígios do Dia. Esse é chato. Não concordo com Lost in Translation. Esse não é chato.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar!
Evite escrever em CAIXA-ALTA.
Críticas são bem vindas, mas lembre-se de ser educado.
Fique à vontade para fazer sugestões ou para complementar o post com suas ideias e conhecimentos.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...